SevenballShow

MENU

CURIOSIDADES ESPECIAL MISTERIOS ARTES FAMOSOS CINEMA TV | TEATRO TRYST 5X1 PHOTO GALLERY PET WORLD CARROS & MOTOS CIÊNCIA & TECNOLOGIA PLANETA ÁSIA COMUNICADOS

Follow Us in G+


Tigres não acumulam a poeira dos séculos; Tigres reinventam a vida todos os dias

Translate

Miley Cyrus, no Brasil.

As pessoas estavam acampadas há um mês_ooooh, que nooovo!_perto da Praça da apoteose, Rio de Janeiro, para ver a Miley cyrus_ daí quando vi o título da matéria de onde captei as informações aqui transcritas, eu novamente me surpreendi, porque diseram: 'Miley Cyrus Provoca em seu  show'_ oooooh!
...porque não me surpreendo??

Miley Cyrus fez seu último show no Brasil neste domingo, 28, na Praça da Apoteose, no Centro do Rio. A cantora trouxe para o país a turnê "Bangerz" e o fãs puderam conferir toda a irreverência e provocações de Miley no palco. A cantora abriu sua apresentação ao som de “SMS (Bangerz)” e “4x4”, e, logo em seguida, agradeceu a presença do público falando muitos palavrões, como sempre!
Durante a apresentação, pediu para uma fã subir ao palco. Ela foi a tradutora para o público, explicando o que  Miley pediu para que todos mundo se beijasse, quanto mais intenso fosse, mais chances de aparecer na Kiss Cam.("câmera do beijo", já tradicional nos shows de Mileycorrendo pelo público, que ficou na dúvida se beijava, ou vibrava por aparecer no telão). Então, assim que ela começou a cantar "Adore you", vários casais se beijaram.
O show ainda teve espaço para covers de Bob Marley(bem oportuno!) com a música "Could you be loved", e de Etta James, com  “I'll Take Care of You".
Show veio desfalcado _

Miley Cyrus já tinha avisado que "Bangerz" desembarcaria no Brasil sem alguns de seus principais elementos cenográficos. Faltou: um cachorro-quente inflável, um carro, a roupa com notas de dólar e o escorregador em formato de língua, por onde ela costuma fazer sua entrada triunfal. Mesmo com o palco esvaziado, e a Arena Anhembi com apenas metade de sua capacidade preenchida, Miley chegou a São Paulo, na noite desta sexta-feira (26), com um espetáculo recheado de elementos sexuais e psicodélicos, como poucos ídolos do pop se aventuram em fazer.


Entre o "kitsch" e o "cool",  mostrou seu pelotão de anãs, dançarinos fantasiados de bichos e o twerk, o tal movimento de quadril que gerou polêmica quando a cantora enterrou de vez sua personagem da Disney, Hannah Montana. Na falta da língua cenográfica, uma parede móvel, com uma cortina brilhante, escondia Miley no início da apresentação. Para delírio da plateia, ela abriu a cortina rapidamente para mostrar a língua e só a abriu de novo quando seu bumbum estava devidamente em foco. O fascínio pelas próprias nádegas, no entanto, acabou revelando mais do que o planejado.

Entre os diversos maiôs cavados, traseiros de espuma e fantasias coloridas, um pedaço do que parecia ser enchimento embaixo das nádegas da cantora saiu do lugar, por baixa da meia-calça transparente, e ficou em evidência no telão. Os fãs que estavam na ponta do palco a avisaram da gafe. Ela sorriu e fez um movimento com as mãos, como se dissesse: "é, fazer o quê?". Sem embaraço, apenas escondeu a falha com uma camisa que um fã havia jogado no palco.
(Legal a forma como reagiu: bem natural!)


Ninguém ligou. O público manteve os gritos e a chuva de sutiãs no palco durante as músicas "4x4" e "We Can't Stop". A cantora retribuía cuspindo água nos mais ardosos ou usando o celular para gravar um vídeo selfie em "Love Money Party". (Chovia e ela dizia: 'já está bem molhado aqui, mas'... e cuspia  a água nas pessoas da primeira fila). Parece que ela ousou um pouco mais em São Paulo, só acho.


Sexo, drogas, pop para menores_
Embora o público fosse formado principalmente por jovens _16 a 25 anos, em média_, Miley não deu espaço para o puritanismo e caprichou nas citações ao sexo e à maconha. Bem antes dos cigarrinhos suspeitos (cenográficos) invadirem o palco no bis, em "Party in the USA", ela brincou quando um chapéu com um bastão luminoso irritou seus olhos. "Meus olhos estão ardendo o bastante, não preciso dessa coisa", disse, se livrando do adereço. "Mas não estou tão chapada como vocês imaginam", garantiu.(Será?)
As interações com o público iam desde declarações como "essa é a plateia mais barulhenta da Bangerz Tour" até sinceridades como no momento em que ela tirou o chapéu com neon depois de Do My Thang ("vou tirar esse chapéu porque não quero ser eletrecutada") ou quando resolveu cantar músicas que "ela gosta", como Lucy in The Sky with Diamonds (Beatles), I'll Take Care of You (Etta James) e Jolene (Dolly Parton), falando pra galera aproveitar e ir comprar camisetas.

Algumas crianças, acompanhadas dos pais, também apareceram, em maior parte na Pista Premium. Estavam animadas, já os pais não pareciam chocados, mas olhavam sem entender todo aquele circo_que estava só pela metade no Brasil.


É. Esta estratégia de se mostrar assim tão ousada que ela e_ seus empresários_vem mostrando, parece que está indo longe... Mas ela jamais vai ser uma Lady GaGa.

Espero que esta última declaração não me traga... problemas._só acho.

Fontes: ego.globo.com/musica.uol.com.br e
Capricho.abril.com

Fotos: Ego, Uol e Capricho
Share on Google Plus

About SevenballShow !

    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comments:

Postar um comentário