SevenballShow

MENU

CURIOSIDADES ESPECIAL MISTERIOS ARTES FAMOSOS CINEMA TV | TEATRO TRYST 5X1 PHOTO GALLERY PET WORLD CARROS & MOTOS CIÊNCIA & TECNOLOGIA PLANETA ÁSIA COMUNICADOS

Follow Us in G+


Tigres não acumulam a poeira dos séculos; Tigres reinventam a vida todos os dias

Translate

Caes Policiais


Série 'Meus Trabalhadores' II_Cães policiais_História_ A parceria entre cães e policiais é bastante antiga, desde o século XVII, quando oficiais europeus recorriam ao apuradíssimo olfato de cães para rastrear o quer quer que fosse. Daí, o papel deles se ampliou muito, mas só nos anos 70, realmente foram reconhecidos como parte integral e indispensável da força policial.
Hoje eles não apenas farejam e rastreiam como também imobilizam suspeitos, servem de guarda, identificam substâncias ilícitas, como explosivos e narcóticos e realizam buscas e resgates de pessoas em perigo. Acessam facilmente locais que os policiais não conseguiriam penetrar sem um grande esforço, têm uma audição magnífica e um olfato poderoso. Muitas vezes a atuação deles é a diferença entre prender um criminoso ou deixá-lo escapar e continuar ameaçando à sociedade.
Eles são cruciais e os policiais sabem disso, por essa razão o treinamento deles é sempre cheio de amor e, após 8 anos de atividade, quando os animais se aposentam, a grande maioria vai para a casa do parceiro ao invés que continuar no canil da polícia.
Como são treinados_ O processo começa quando o filhote faz quatro meses de idade. Nesse período inicial, que dura cerca de oito semanas, o animal limita-se a brincar e a conviver com o policial que será seu parceiro. Assim, acostuma-se a identificar o dono pelo cheiro e a comunicar-se com ele. Do sexto ao décimo-quinto mês, passa pelo adestramento propriamente dito, que segue duas ações básicas. A primeira é a repetição de palavras curtas – como “senta!” – até o animal aprender a reconhecê-las. A segunda é uma recompensa_ biscoito ou brinquedo_dada quando os comandos são obedecidos. Na fase mais avançada, aprende a atacar uma pessoa, prendendo-a com os dentes até o policial mandar soltá-la – além de ser instruído a subir e descer escadas, saltar de lugares altos e habituar-se ao barulho de tiros.
Trabalham nas seguintes ações policiais: imobilizar um suspeito até que seja revistado; atacar criminosos; reconhecer, pelo faro, drogas e explosivos; e localizar pessoas desaparecidas na mata ou em um cativeiro. O aprendizado de cada uma dessas tarefas segue o mesmo método de ordem e recompensa. Com algumas exceções , os cachorros são da raça pastor alemão. “Isso porque ela é completa: sociável, apegada ao adestrador – e com força e resistência adequadas à atividade policial”, diz o capitão Daniel Ramos Ignácio, do Canil da Polícia Militar de SP.
Ordem de ataque_ Uma só palavra, mantida em segredo pela polícia, serve de comando para o cão render o inimigo.
» As viaturas que levam cachorros são adaptadas com uma plataforma de madeira no lugar do banco traseiro. O cachorro é treinado para pular pela janela e correr em direção ao suspeito, assim que recebe a ordem
» O cão salta sobre o sujeito e agarra seu braço com os dentes, imobilizando-o. Uma mordida dessas equivale a 500 quilos de pressão – um bom motivo para usar, no treinamento, luvas bem resistentes. Se o suspeito estiver armado, normalmente o impacto do ataque faz a arma cair no chão
» Enquanto não ouve o comando para soltar sua presa, o cão mantém o sujeito imobilizado. Quando o policial chega, ele mesmo rende e revista o suspeito – mas o cão observa tudo, pronto para atacar mais uma vez, se for preciso
É fogo!_ Um cão policial não pode ser medroso. Esta é uma das razões pela qual o treinamento inclui saltos através de uma roda em chamas. O exercício também serve para que o animal saiba o que fazer se for obrigado, por exemplo, a pular pela janela de uma casa incendiada.
'Matem o pretinho!'_ No rádio da polícia foi interceptada certa vez a seguinte mensagem: 'Matem o pretinho!' se referindo à um cão labrador policial de cor preta, que estava arrasando com os traficantes. Suas investidas e descobertas foram tão devastadoras a ponto de eles trocarem várias vezes esta 'mensagem macabra' se referindo ao destemido trabalhador, que felizmente não foi morto. Ufa!
Os especialistas_ Outras raças, além do pastor alemão, são treinadas para tarefas específicas
O rottweiller, bem mais agressivo que o pastor alemão, é preferido no combate a rebeliões, pelo chamado efeito psicológico: faz qualquer um tremer de medo. Ainda mais que a pressão de sua mordida equivale a 800 quilos, quase o dobro do pastor. Mas, por ser mais pesado e troncudo, cansa mais rápido –por isso não é tão utilizado em patrulhamentos rotineiros
Por seu olfato hipersensível e seu instinto de caçador, o labrador é o escolhido para dar plantão farejando drogas em aeroportos e bloqueios rodoviários. Ele é treinado para isso desde pequeno, ganhando ossos de brinquedo recheados, por exemplo, com maconha. A raça é capaz de identificar 25 tipos diferentes de odores, alguns deles imperceptíveis para os seres humanos
O pastor belga de malinoá, parente do pastor alemão, é o favorito para a delicada missão de detectar, também pelo olfato, explosivos como pólvora e dinamite. O animal é treinado para jamais encostar nos objetos, pois muitas bombas podem explodir com um simples toque. O labrador, apesar de seu faro fino, é estabanado demais para isso.
Na prática_ O dia da Rottweiler Laika, de 6 anos, começa bem cedinho. Ela acorda às 5h30 da manhã para a primeira refeição. Às 7h aguarda a chegada do seu amigo fiel – e colega de trabalho –, o soldado Fabio Henrique Barbosa Alves, que então conversa com ela e lhe dá água fresca, enquanto limpa o seu local de descanso. Como qualquer policial, Laika precisa estar em forma e bem treinada para exercer a profissão, por isso, passa o restante da manhã recebendo treinamento físico e reforço dos comandos aprendidos. Por volta das 13h, a cadela sai para trabalhar e só retorna para casa – o Canil Central da PM de São Paulo, 3ª Cia_ 4º Batalhão de Choque, zona norte – no final do dia, quando recebe a ração da noite, para repor suas energias. Que coisa linda!
Raças de médio e grande porte, resistentes e sociáveis são ideais para a carreira na polícia_Laika faz parte do quadro dos quase 90 cães treinados atualmente pelo Canil da PM de SP, que já tem mais de 60 anos. O local reúne cachorros de diferentes raças, como Doberman, Pastor Alemão, Pastor Belga, Labrador, Bloodhound, Rottweiler e Braco Alemão, que têm mais facilidade com esse tipo de trabalho. Entre os peludos, cães em início de treinamento ou na ativa. Também podem ser encontrados alguns aposentados (pelo regulamento da instituição, o cão policial se aposenta após oito anos de serviço!) que aguardam a definição de seu destino – geralmente, a casa do policial que conviveu com ele.
Cães policias são treinados para diferentes funções, desde a patrulha até o farejo de explosivos
_Segundo o tenente João Cláudio Corrente Santos Silva, (Tenente Corrente), do Canil Central da PM de SP, os cães são treinados para exercer diferentes funções, como patrulha de rua. “O cão atua como uma ferramenta para ajudar o policial na prática do patrulhamento. Ao fazer abordagens ou averiguações em ocorrências, o policial usa o cão como fator de intimidação das pessoas para a segurança própria e de terceiros”, diz o Tenente. Ele explica que o 'cão policial' deve ter um grau de atividade alto (fica seis horas em serviço), porte médio ou grande e ainda ser obediente e sociável, afinal, esses conviverão com a sociedade. Outra função é a de farejar, sendo que cada animal é treinado para identificar apenas um tipo de odor. “Nesse caso, o tamanho não importa muito, porque o principal é o fato de que eles procurarão coisas, sejam drogas, explosivos ou pessoas”, ressalta
Tenente Corrente. A Rottweiler Laika acompanha o soldado Fabio no patrulhamento, sempre alerta e de prontidão, tanto nas ocorrências, como em outras atividades em locais públicos. “Ela tem o lugar dela na viatura”, conta. Além de Laika, o soldado Fabio adestra a Pastor Alemão Olla, de 3 anos de idade, com instruções de demonstração. “É muito prazeroso trabalhar com esses cães. Depois de conviver oito anos com eles, viram um membro de nossa família”, finaliza. (Perfeito!)
Share on Google Plus

About SevenballShow !

    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comments:

  1. Olá,

    peço desculpas por não publicar seu comentário no meu blog, pois infelizmente tenho restrições a comentários com links nas postagens. Venho aqui te agradecer pela visita e dizer que fiquei muito contente que nosso tutorial pôde lhe ajudar de alguma forma, e, também lhe parabenizar pelo seu blog.

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, TK! Fico feliz pela sua visita e por ter gostado do blog, volte sempre!!!

    ResponderExcluir